Sobre Fatima de Kwant

Fatima Kwant is an autism advocate, author of autism related articles, and creator of the International Autimates Project - Overcoming Prejudice with Information. She is a Brazilian journalist leaving in the Netherlands with her family. Her youngest son, 18 years old has autism and formerly diagnosed as severe autistic. Recently this diagnose has been withdrawn. Fatima is also an expert in many aspects of the Autism Spectrum, especially Autism & Development.

8 Comentários

  1. Maria Aparecida

    Um atendimento com uma casa com moradia assistida como o exemplo da holanda para quando eu nao tiver mais aqui meu filho ter um amparo. Pois é o que mais me faz sofrer e pensar quem vai cuidar dele em minha ausência.

  2. Maria Jose cruz

    Espetacular descrição de um perfil global do autismo numa dimensão dificil de encontrarmos nos conceitos mais convencionais, pobres e muito limitadores das reais potencialidades de um autista.
    Sou grata por acidentalmente ou não, ter encontrado esta brilhante traduçao.
    Só uma sensibilidade do entendimento global do ser humano na sua essência mais completa sera capaz de perceber esta forma tão especial de ver para além do socialmente formatado
    . Importante se torna fazer um trabalho de acesso à posibilidade de abrir mentes e caminhos quer na estimulação quer no tratamento biomédico ,para a felicidade de todos.

  3. Crispina Elaine Lopes de Vargas

    Querida Fátima,
    Estou muito feliz em participar do Grupo Autimates. Através dele tenhoobtido muitas orientações valiosas de como conviver com a realidade autista de minha filha Mauren. Ela está com 12 anos. Tem muitas potencialidades, boa aprendizagem. Tem interesse por música, faz Canto e Teatro. Ela precisa destas atividades para a sua socialização, onde é a sua maior dificuldade. Ela se ressente por não ter amigos. Isto lhe causa problemas na escola, ela fica desmotivada de ir, porque sente-se isolada, triste. Ela já percebeu que alguma menina fica no recreio com ela por orientação das professoras. Pois ela é bem inteligente e já percebe este tipo de coisa.
    Tenho pensado muito sobre isto. Porque a escola para ela representa um transtorno, uma ameaça à sua serenidade, à sua segurança e estrutura psicológica.
    Percebo minha filha evoluir, progredir em várias áreas, está se mostrando capaz de compreender melhor o mundo, a vida, tem senso crítico, reflexão. Porém na escola, ela se retrai muito. Receio muito o retrocesso dela em função da escola.
    Mas, vamos indo, sempre para a frente, lutando, vencendo barreiras. E o grupo ajudando muito com as valiosas trocas de experiências que recebemos ali.
    Informação é tudo. E temos sempre que ir em busca de esclarecimentos.
    Sejas muito feliz. Beijos.


    1. Obrigada, Crispina.
      Sua filha está progredindo porque você acredita nela. Perceba onde ela se retrai; deve ser em lugares onde não se sente bem.
      Fora da escola, faça possível que ela tenha contato com pessoas com quem se sente á vontade. Os autistas adoram estar perto de quem não tem preconceito e aprecia como são.
      Obrigada por estar no grupo.
      Com carinho,
      Fatima